Resumo Nutricional - Café

Quando cultivados sob condições intensivas e com grande disponibilidade de luz solar, as plantas de café exigem alta quantidade de nutrientes. As necessidades de fertilizantes são menores durante a fase de crescimento, normalmente nos primeiros dois anos. Nesse estágio é importante evitar uso excessivo de N, pois pode haver um desequilíbrio entre o desenvolvimento da parte aérea e o radicular.

As taxas de aplicação de nutrientes são maiores durante o pico de produtividade das bagas, normalmente do terceiro ano em diante. Nesse estágio, a exportação de nutrientes pelas bagas é maior. Com muitas plantações sendo cultivadas em áreas onduladas e sujeitas a alta precipitação, a erosão superficial e perdas de nutrientes podem se tornar grandes problemas.

O uso de resíduos vegetais, retornando a polpa e restos de poda , ajuda a reciclar nutrientes, porém a aplicação de fertilizantes ainda é necessária para suprir a exigência das plantas. Uma prática comum é o uso de aplicações frequentes de fertilizantes, principalmente nitrogênio e potássio, ao longo da safra, para manutenção do crescimento.

Macronutrientes

Nitrogêniopotássio são exigidos em quantidades similares. A extração de ambos ocorre em torno de 150-250 kg/ha em plantas maduras, conforme as figuras abaixo.

Macronutrient Uptake by Coffee Trees
Macronutrient removal at harvest

O nitrogênio é essencial para um bom crescimento vegetativo e obtenção de altas produtividades. A extração ocorre no início da safra durante crescimento de folhas jovens e florescimento (Figuras 4 e 5). Embora os suprimentos de N devam ser mantidos ao longo da safra, muito nitrogênio em estágios tardios de crescimento podem reduzir o tamanho dos grãos. 

O pico de extração de potássio ocorre em estágios mais tardios que nitrogênio. O potássio é importante durante crescimento das bagas. Comparado com outros nutrientes, níveis de nitrogênio e potássio relativamente altos são removidos na baga. Boa parte do K exportado na colheita (mais de 50 kg/ha) fica acumulado na polpa. Na prática, manejos de adubação em áreas de café intensivas e com alta precipitação recomendam a aplicação de 250-450 kg/ha de nitrogênio e potássio por ano.

Doses menores podem ser usadas se os níveis de potássio no solo forem altos, ou se os níveis de nitrogênio na folha estiverem muito altos. Deve-se ter cuidado para o equilíbrio de potássio, cálcio e magnésio, de maneira que o suprimento excessivo de um desses elementos pode restringir a absorção dos demais.

Macronutrient uptake - Guatemala
Seasonal Nutrient Requirements - NPK

O fósforo é exigido em quantidades muito menores, sendo que apenas 25 kg/ha de P2O5 é exigido para a produção de café em uma safra anual. O fósforo é importante em viveiros e durante a fase de estabelecimento das plantas de café, assim como na fase de pré-florescimento para impulsionar o crescimento radicular.

O uso de fertilizantes, incluindo as aplicações foliares, é importante onde ocorre indisponibilidade de fósforo devido à fixação no solo. Nessas situações, até 100 kg/ha de fósforo podem ser aplicados por ano. O cálcio é o terceiro nutriente mais importante em termos de exigência total de nutrientes. Entre 75-100 kg/ha é requerido para crescimento das plantas, qualidade e produtividade de bagas.

A extração de cálcio continua logo após a maturação até enchimento de bagas. O magnésio e enxofre são exigidos em menores quantidades comparado com cálcio, e com extração total de 30-60 kg/ha e 14-20 kg/ha respectivamente. A fase de maior absorção de magnésio e enxofre ocorre durante a maturação.

Micronutrientes

Embora quantidades muito pequenas de micronutrientes sejam necessárias para um bom crescimento vegetal, ferro, manganês, zinco, cobre e boro são elementos-chave na cultura do café.

Micronutrient Uptake by Coffee Trees
Micronutrient Removal at Harvest
Micronutrient Uptake - Guatemala

O ferro é necessário em maiores quantidades (2000 g/ha/ano), e, junto com o manganês, é importante para o crescimento.

O boro e o zinco, embora sejam necessários em quantidades de 200-500 g/ha/ano, possuem a função de melhorar a qualidade dos frutos e um suprimento adequado é crítico durante o florescimento e pegamento de frutos. As doses a serem aplicadas variam de acordo com o tipo de solo: até 3 kg/ha/ano de boro e 6 kg/ha/ano de zinco podem ser exigidos.

A exportação de micronutrientes nas bagas é relativamente baixa, entre 30-110 g/ha (Figura 7), porém precisa ser reposta e aumenta consideravelmente quando partes vegetais são removidos do campo.

Proporcionalmente, mais ferro é encontrado na semente do que na polpa e portanto, mesmo quando a polpa retorna ao campo como compostagem, quantidades relativamente altas de ferro são ainda necessárias para um ótimo crescimento. A absorção de micronutrientes é maior durante a maturação das bagas, principalmente de manganês (Figura 8).