Produtividade do Milho

O objetivo de qualquer produtor é obter altas produtividades de milho, e existe muitos fatores agronômicos que podem influenciar isso, muitos deles podem ser controlados por eles, nas condições de solo e clima específicas. Uma vez que a variedade seja selecionada de acordo com as condições locais de crescimento, o milho é plantado em uma densidade que permita o desenvolvimento de uma espiga de milho por planta. Para se atingir altas produtividades de milho, é importante maximizar o número de grãos por espiga e o peso de grãos. Por meio de um programa de nutrição de plantas bem balanceado, o produtor pode ser capaz de cumprir esse propósito.

Nutrição de plantas e produtividade do Milho

Maize Yield

Nitrogênio é importante para assegurar altas produtividades. Ele impulsiona o crescimento vegetal e o desenvolvimento e precisa estar prontamente disponível.

Fósforo é particularmente importante para desenvolvimento radicular e para um bom estabelecimento da cultura.

Potássio,assim como o nitrogênio, também impulsiona o desenvolvimento da cultura, e grandes quantidades são extraídas durante o desenvolvimento da planta.

O seu suprimento precisa ser balanceado ao longo do ciclo juntamente com o N. Uma boa nutrição com potássio pode também ajudar a minimizar os efeitos de geada e reduzir o acamamento.

O potássio é mais importante no fechamento de estômatos e baixos suprimentos podem resultar em perdas de água pela planta.  

O magnésio, enxofre e o ferro aumentam a atividade fotossintética e mantém bom crescimento para altas produtividades. Cálcio assegura bom fortalecimento das plantas, protegendo raízes, folha e produção de colmos. Boro é requerido para o desenvolvimento do tubo polínico e assegura boa frutificação. Zinco é importante para atividade fotossintética. 

A indisponibilidade de qualquer outro micronutriente pode também restringir processos de crescimento e a produtividade consequentemente.

Outras práticas de manejo que aumentam a produtividade do Milho

  • A manutenção de um nível adequado de pH no solo assegura disponibilidade de nutrientes e maximiza produtividade. O pH ideal está na faixa de 6 a 7,2 (pH em água). O milho possui baixa tolerância a pH baixo (<5,0) no solo, pois a toxidez por alumínio reduz o desenvolvimento de raízes e a toxidez por manganês reduz o desenvolvimento das plantas. 
  • O uso de calcário, para aumentar o pH do solo, e de gesso, para melhorar estrutura do solo e a saturação por cálcio, ajudam a incrementar a produtividade. O enxofre que o gesso adiciona complexa alumínio livre, reduzindo a toxidez para as plantas. 
  • Uma boa estrutura do solo é essencial para um bom desenvolvimento radicular e bom crescimento, o milho é particularmente sensível à compactação do solo. 
  • O espaçamento, a densidade das plantas e a rotação com outras culturas ajudam a incrementar a produtividade de milho pela diminuição nas doenças, pragas e incidência de plantas daninhas. 
  • O controle de plantas daninhas é essencial para assegurar um bom início de desenvolvimento e o controle de pragas e doenças minimizam os danos às raízes e área foliar produtiva. Quando a irrigação é praticada de maneira limitada, o suprimento de água particularmente na fase de espigamento é de extrema importância para uma boa granação.

Recomendações da Yara para: