Aumentando o Número e o Tamanho de Grãos de Milho

Nitrogênio, fósforo, potássio e boro possuem um impacto particular no número e tamanho de grãos de milho e portanto na produtividade de milho.

Nutrição de Plantas e o Tamanho de Grãos de Milho

Nitrogênio

Image Nitrogen Yield

O nitrogênio é essencial para o crescimento das plantas, sendo um dos principais pilares na formação de proteínas. Nos grãos de milho, as maiores produtividades geralmente vêm de doses de N entre 200-250kg/ha. As doses precisam ser altas o suficiente para maximizar o crescimento vegetal. A falta de nitrogênio resulta em espigas mais curtas com baixo número de grãos.

Fósforo

Image Phosphorus Yield

Aplicações de até 150 kg/ha de P2O5 fornecem respostas positivas em produtividade em ensaios conduzidos em solos com baixo P. Porém, mesmo em solos com altos teores de P, uma aplicação inicial de em torno de 20 kg de P2O5/ha é requerida para atingir altas produtividades.

Potássio e Fósforo

Potássio. As curvas de resposta comumente mostram respostas positivas à altas doses de potássio. Doses anuais na maioria dos países ficam na faixa de 150-250kg K2O/ha. O milho requer potássio e nitrogênio em quantidades similares para altas produtividades e baixa aplicação de N reduz a extração de K, restringindo o crescimento. A falta de potássio e fósforo pode levar a uma incompleta granação no ponto final da espiga do milho.

Potassium Frost Tolerance
Potassium Yield

Boro

Boron and Yield

Boro está envolvido na extensão celular, crescimento do tubo polínico e assim possui um efeito direto na granação. A falta de boro pode levar a uma restrição na granação, com diversos pontos sem grãos na espiga e poucos grãos de bom tamanho. O boro aplicado via foliar ou via solo durante a elongação do colmo (V5 a V7) pode contribuir para uma maior produtividade de grãos de milho.