Resumo nutricional e solo

O algodão apresenta baixa tolerância à acidez, à toxidade do alumínio e ao baixo teor de cálcio, de modo que a diminuição da acidez é essencial para alcançar uma alta produtividade da cultura.

A calagem elevará o pH, neutralizando o alumínio trocável e aumentando a saturação da base. A cultura também se beneficiará com o aumento na Capacidade de troca catiônica (CTC) e com a disponibilidade de N, S, P, B e Mo. Isso promove melhorias no crescimento das raízes, permitindo melhor eficiência do uso dos nutrientes. A calagem deve ser realizada, pelo menos, dois meses antes do plantio com posterior incorporação utilizando arado e gradagem.

Uma vez que a quantidade de nutrientes exportados pela fibra e sementes do algodão é relativamente pequena em comparação com outras culturas, o algodoeiro não se caracteriza como uma planta esgotante do solo. No entanto, a remoção e a queima dos resíduos da cultura para controlar as pragas e as doenças causam várias perdas nutricionais.

Após a eliminação dos resíduos da cultura, além da aragem intensiva no plantio, recomenda-se utilizar quantidades maiores de fertilizantes do que os nutrientes removidos pelas fibras e sementes, a fim de repor as perdas e evitar a degradação do solo. A rotação de culturas, a reciclagem de nutrientes e as práticas agrícolas de conservação são bastante desejáveis, porque, além de evitar a erosão do solo e as perdas nutricionais, elas mantêm e/ou melhoram a produtividade do solo.

Com a finalidade de avaliar os requisitos nutricionais da cultura do algodão, a análise foliar e do solo são ferramentas importantes e devem ser usadas. Dos nutrientes específicos, especial atenção deve ser dada ao potássio e ao cálcio pois ambos são elementos-chave para a melhoria da produtividade e da qualidade.

O nitrogênio prolonga o crescimento da planta e aumenta o número de capulhos. Este nutriente pode também aumentar o tamanho dos capulhos. 

O potássio está integralmente envolvido no metabolismo e nas relações entre a água e a planta, é um ativador enzimático e é essencial para a fotossíntese, entre outras funções. Além das suas funções enzimáticas no algodão, o potássio desempenha um papel especialmente importante no desenvolvimento das fibras, de modo que a sua escassez resultará em uma qualidade inferior e uma produtividade menor. O K também reduz a incidência e a gravidade de doenças relacionada à murcha. 

O cálcio fortalece as paredes celulares e melhora a integridade da membrana e, por isso, uma nutrição de cálcio adequada é necessária para o desenvolvimento normal da parede celular. No algodão, a atividade de frutificação é influenciada pelo nível de cálcio no meio de crescimento. O cálcio também serve para aumentar a tolerância ao sal. Em experimentos em que o algodão foi cultivado com níveis diferentes de cálcio, o índice de frutificação aumentou com cada incremento de cálcio adicionado. 

O algodão é especialmente vulnerável à deficiência de boro durante a seca que é precedida por chuvas fortes. E, depois, novamente, quando o período de seca termina e há o repentino crescimento mais intenso e a frutificação – especialmente se o nitrogênio estiver em abundância. O boro é um elemento essencial que o algodão precisa durante todas as fases de crescimento e frutificação. O suprimento adequado de boro ajudará o algodão a: 

  • Desenvolver e reter mais botões
  • Aumentar a polinização na floração e os capulhos
  • Transportar nutrientes e açúcares das folhas para os frutos
  • Produzir fibras fortes e bem desenvolvidas
  • Acelerar a maturidade

 

Orientações para a Manejo Nutricional do Algodão

  • O algodão tem alta necessidade de N e K
  • O nitrato de potássio como aplicação foliar pode evitar a deficiência no final da estação
  • As raízes começam a diminuir após a floração, já que o algodoeiro transfere a sua energia da raiz para o desenvolvimento dos capulhos
  • Quando os capulhos começam a se desenvolver, eles consomem muito mais carboidratos do que as raízes e os ramos. Nessa fase, o crescimento dos ramos e das raízes é mais lento e o desenvolvimento dos capulhos domina o crescimento da planta, assim como as raízes já bem estabelecidas continuam a fornecer grandes quantidades de água e nutrientes para os ramos
  • Durante o desenvolvimento dos capulhos e a fase de alongamento das fibras, o desenvolvimento da fibra é muito sensível a condições ambientais adversas. A baixa disponibilidade de água, as temperaturas extremas e as deficiências nutricionais (especialmente de potássio) pode reduzir o comprimento final da fibra
  • Sempre leve em consideração as condições locais e o perfil do solo ao planejar um programa de nutrição de plantas