A abordagem LongeVita

Um dos objetivos do produtor de cana-de-açúcar é a melhoria na produtividade ano após ano em cada soqueira e aumentar a duração e a longevidade do ciclo total da cultura. Dessa forma, o produtor pode reduzir custos ao longo do ciclo da cultura, minimizando a quantidade de reformas e replantios.

Abordagem Longevita

Estudos recentes do Brasil confirmam que melhorias na disponibilidade de nutrientes para cada soqueira tem efeito acentuado no ciclo de cultivo da cana-de-açúcar, desde que se tenha um adequado manejo do solo, de pragas, doenças e plantas daninhas, e suportado por um bom manejo da colheita.

Após trabalhos em parceria com a Universidade de São Paulo e Universidade de Pernambuco, a Yara desenvolveu um programa de adubação que diminui o declínio na produtividade ao longo dos ciclos. O programa envolve três componentes básicos:

1. Melhoria na eficiência de uso dos fertilizantes por meio do uso de formas mais eficientes de nitrogênio e fósforo a partir dos produtos YaraMila, que são normalmente empregados na cultura.

2. Obtenção de produtividades mais uniformes como resultado da distribuição mais uniforme de nutrientes devido à maior qualidade do produto em relação à absorção pelas raízes.

3. Melhor estabelecimento e vigor inicial da cultura com o suprimento de micronutrientes de alta performance, com a linha YaraVIta, na época e local necessários. Várias formulações de YaraMila têm sido testadas. Todas garantem diminuições nas perdas de nitrogênio na produção de cana-crua, devido ao uso de formas de nitrato no fornecimento de nitrogênio e melhor disponibilidade de fósforo por meio do uso de misturas de diferentes formas de fósforo prontamente disponíveis.

Os ensaios com produtos YaraMila mostram aumento na produtividade de cana da ordem de 20% em média (Figura 55). Em uma segunda rede de ensaios, o uso de YaraMila NPK foi suportado pelo uso de YaraVita Bortrac e Zintrac, para proporcionar ainda melhor performance da cultura. 

YaraMila

YaraMila

Micronutrientes

Quando aplicados no sulco de plantio e em aplicações foliares no início da rebrota das soqueiras, o boro, zinco, molibdênio apresentam regularmente melhor desenvolvimento da parte aérea e raízes das plantas, o que resulta em melhor vigor, estabelecimento e produtividade (Figura acima).

Como resultado da adoção dessa abordagem Longevita, dois cortes a mais são possíveis ao longo do ciclo de cana-planta e soca. No que se refere à produção acumulada de colmos ao longo de cinco anos, o uso de manejo convencional resultou em um total de 380 t/ha, enquanto que a abordagem Longevita resultou na produção de 530 t/ha de colmos industrializáveis, resultando em economia de custos da ordem de 30% ao longo do ciclo total da cultura. Os ensaios também mostram um aumento de 6-11 t/ha na produtividade em cada corte ao longo do ciclo.