Tipos de Soja

Há vários fatores que devem ser considerados ao selecionar uma variedade de soja que terá o potencial genético de produzir uma boa cultura, de acordo com as condições locais. As características que devem ser consideradas incluem a produtividade e sua estabilidade, a resistência a pragas e doenças, a clorose por deficiência de ferro, a maturidade, as características de qualidade, a altura da planta e o acamamento.

Altura e Acamamento

Plantas mais altas são, em geral, mais suscetíveis ao acamamento que variedades mais baixas. O acamamento reduz a produção e dificulta a colheita.

Grupo de maturidade

A maturidade é classificada de acordo com o tempo necessário, do florescimento à maturidade da colheita. Se sojas de diferentes grupos de maturidade forem plantadas, poderá haver um risco reduzido de dano por estresse hídrico com a disseminação do florescimento, com o preenchimento da semente e com a maturidade fisiológica. Mas as condições locais devem ser levadas em consideração, já que a soja reage à duração do dia.

Cultivando uma variedade em latitudes mais elevadas do que o normal para a variedade específica, mais longos serão os dias e mais tardia será a floração, prolongando, assim, o tempo necessário para o amadurecimento. Uma variedade proveniente de latitudes mais altas e que é levada para mais próximo da linha do Equador florescerá mais cedo do que deveria em sua geografia ideal. A floração antes da altura adequada da planta pode reduzir a produção.

Composição do grão

Maiores quantidades de óleo, de proteína ou de aminoácidos são importantes para avaliar o valor de uma cultura de soja.

Tolerância a doenças

A tolerância a doenças genéticas é outra consideração importante. E isso é particularmente importante para doenças problemáticas, como a síndrome da morte repentina e o mofo branco. Em solos com pH elevado, algumas variedades podem ser suscetíveis a clorose por deficiência de ferro, enquanto outras são mais tolerantes.

Outros Aspectos

Em países tropicais e subtropicais, tem havido uma demanda maior por culturas com ciclos mais curtos, o que permite uma cultura de inverno com menos riscos e ganhos mais altos. No entanto, essas culturas têm apresentado problemas, como um reduzido potencial de produção, altura menor e maior suscetibilidade à escassez hídrica. No momento, esses desafios estão sendo superados com o lançamento de novos materiais a cada ano, o que aumenta o potencial de produção, melhora o tamanho e aumenta a resistência à escassez hídrica, além de precocidade. Um outro aspecto importante é a maior disponibilidade de soja com resistência a ataque de lagartas. É uma segunda geração de soja geneticamente modificada na sequência da soja RR já estabelecida (resistente ao glifosato), o que mudou o curso da cultura na última década.