Prevenção da podridão apical do tomate


Podridão apical

A podridão apical do tomate consiste em manchas marrons ou pretas na base do fruto. É resultado de estresses de umidade, deficiência de cálcio (menos de 0,08% de cálcio em matéria seca), excesso de amônio ou uma combinação de todos esses fatores.

No campo, a podridão apical é mais frequente em solos ácidos, de maneira que solos com alto conteúdo de sais podem também causar o colapso vascular na base da planta, ocasionando murcha. Isso é mais comum em condições de baixa umidade do solo.

Nutrição das Plantas e Podridão Apical do Tomate

Cálcio

A falta de cálcio está fortemente ligada à ocorrência de podridão apical. Esse problema ocorre durante o período de máxima expansão dos frutos, em torno de 2 semanas após polinização. Nesse período, qualquer fator que restringe o suprimento de cálcio para o fruto pode aumentar o risco de ocorrência de podridão apical.

Cálcio

Nitrato de Cálcio

Nitrato de Cálcio

Como resultado da competição iônica, uso excessivo de amônio como principal fonte de nitrogênio pode aumentar de maneira significativa a incidência de podridão apical. A melhor maneira de assegurar um bom suprimento de cálcio é usar nitrato de cálcio como fonte.

Nitrogênio

Uso excessivo de nitrogênio amoniacal impede a absorção de outros nutrientes importantes, como cálcio, nessa situação aumenta o risco de ocorrência de podridão apical. Os problemas ficam piores quando o amônio é usado após o pegamento dos frutos e quando a cultura se encontra sob estresse hídrico.

Forma de nitrogênio

 

Forma de nitrogênio

Como prevenir a podridão apical interna

 

A podridão apical interna ocorre quando as sementes e as paredes internas dos frutos ficam cinzas ou negras, mas a superfície do fruto não apresenta sintomas. Isso é normalmente resultado de uma deficiência transitória de cálcio. Um bom suprimento de cálcio durante o ciclo completo da cultura ajuda a reduzir os riscos dessa doença.

Variedades mais suscetíveis de tomate apresentam normalmente um crescimento mais rápido e assim precisam mais cálcio em um período mais curto.

Outros Princípios de Manejo que Influenciam a Podridão Apical no Tomate

  • A salinidade restringe extração de cálcio, aumentando assim os riscos de podridão apical (Figura 37). Isso é resultado de maior competição com outros cátions e aumento no uso de cálcio para desenvolvimento foliar e do xilema ao invés de acúmulo nos frutos.
  • Um dos principais fatores que causam podridão apical é o estresse hídrico, tanto por deficiência ou excesso de água. Sob condições de alta umidade, a transpiração é menor e a absorção de cálcio (que transportado por meio do fluxo de transpiração) fica limitado.

Salinidade