Salinidade

A salinidade reduz a habilidade das plantas de tomate em absorver água e nutrientes, afetando diretamente a produtividade da cultura.

O tomate é moderadamente tolerante à salinidade e se desenvolve bem em condutividade elétrica (CE) de até 2,5 mS cm-1 sem diminuição na produtividade. 

Acima desse nível de CE a produtividade pode ser gradualmente diminuída, embora isso varie dependendo da variedade.

O nível de CE, tipo de salinidade, e o balanço entre os nutrientes em solução influenciam a qualidade dos frutos colhidos.

Uma alta condutividade:

• Reduz o tamanho dos frutos, mas a adição de potássio corrige esse problema.

• Aumenta o teor de açúcar, assim como o conteúdo de ácidos no fruto, melhorando sabor.

• Aumentar a firmeza dos frutos e a espessura da casca, melhorando a vida de prateleira.

• Reduz polpa farinhenta, melhorando assim a textura do fruto.

• Aumenta o conteúdo de pigmentos e  melhorando a coloração. No entanto, cuidados são necessários, pois o uso de soluções com CE acima de 5 resultará em declínio na concentração de pigmentos.

O uso de cloreto de sódio para aumentar a CE pode melhorar o sabor, aroma e firmeza do tomate. Porém, muito cloreto de sódio pode ser tóxico e reduzir o crescimento (ver tabelas), reduzindo severamente a produtividade.

Ao aumentar os teores de potássio e cálcio nas plantas sob estresse de cloreto de sódio, nota-se uma  melhora no crescimento e na produtividade do tomate.

Salinidade e SST

Salinidade e retenção foliar

Salinidade e altura das plantas